Especialista do APOGEU explica sobre Habilidades Socioemocionais

Com a preocupação em formar profissionais com capacidades que vão além do conhecimento teórico, algumas instituições privadas de ensino estão incorporando Habilidades Socioemocionais no processo seletivo e na grade curricular.

O novo método já foi implantado, por exemplo, na segunda fase do vestibular de Medicina do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. A instituição alegou que o objetivo da avaliação das Habilidades Socioemocionais é identificar características como empatia, capacidade de argumentação, flexibilidade, persistência e habilidade para trabalhar em grupo.

A tendência de implantação das Habilidades Socioemocionais em vestibulares e aulas surgiu após pesquisas demonstrarem o impacto positivo de características, como persistência e extroversão, em alguns indicadores de sucesso, como salários e saúde. Além disso, o mercado de trabalho tem procurado cada vez mais por profissionais com essas competências.

A Especialista em Habilidades Socioemocionais da Rede de Ensino APOGEU, Inaiara Cóser, esclareceu as principais dúvidas sobre o assunto e destacou os impactos da implantação da nova proposta nos vestibulares. Confira:

 

1) Quais são as habilidades socioemocionais mais importantes para um aluno/candidato que está prestes a ingressar na faculdade? 

[Inaiara Cóser] – O mundo atual nos exige muito mais do que a acumulação de informações. Precisamos estar preparados para identificar problemas e buscar soluções de forma colaborativa. Para isso, é necessário saber comunicar-se, ser criativo, perseverante, possuir pensamento crítico, proatividade e capacidade para trabalhar em equipe.

 

2) Qual a importância das faculdades adotarem esse novo método de avaliação? 

[Inaiara Cóser] – Se nós analisarmos os sistemas no nível coletivo – saúde, finanças, educação, etc –, estamos criando resultados que ninguém quer. Pesquisadores como Otto Scharmer (MIT – Massachusetts Instituteof Technology) e Brené Brown (Universityof Houston) ressaltam a importância de reumanizarmos as relações. Estamos tão focados em tecnologia, que nos esquecemos que as empresas e instituições não são a instalação física dentro da qual se opera, mas a rede de pessoas que nelas atuam.

O mundo mudou e com ele surgiram novos conceitos, como empreendedorismo por propósito, que é a interseção entre o que se gosta de fazer e o que o mundo precisa. Um exemplo de empreendedorismo por propósito são os negócios sociais, conceito criado pelo economista, Prêmio Nobel da Paz, Muhammad Yunus: “empresas que têm a única missão de solucionar um problema social, são autossustentáveis financeiramente e não distribuem dividendos” (Yunus Negócios Sociais).

Além do contexto atual, precisamos nos atentar para o fato de que estamos educando pessoas para carreiras que ainda não foram criadas. Assim, é necessário prepará-los para enfrentar esses desafios e isso passa pelo desenvolvimento das habilidades socioemocionais.

3) Qual a maior falha socioemocional detectada nos alunos atualmente? 

[Inaiara Cóser] – O maior problema que eu identifico está relacionado com a colaboração. Os alunos têm muita dificuldade em praticar a escuta profunda, que é a base para conseguirmos desenvolver a empatia e conseguirmos trabalhar de forma colaborativa, seja na escola, no trabalho ou em sociedade. Na verdade eu acredito que essa dificuldade dos alunos é um reflexo da nossa sociedade. Nós adultos não estamos acostumados a praticar a escuta profunda, determinamos o que é certo ou errado e dificilmente nos damos a oportunidade de dialogar e entender o ponto de vista do outro.

 

4) Como o Colégio APOGEU procura trabalhar e incentivar as competências socioemocionais? 

[Inaiara Cóser] – No Colégio APOGEU, nós trabalhamos principalmente por meio da disciplina Habilidades de Vida, que foi incorporada em todo o Ensino Fundamental. Nos três primeiros anos, o foco é o desenvolvimento da inteligência emocional do aluno e a ideia é trabalhar com o conhecimento e o reconhecimento das emoções. Por sua vez, do 4º ao 9º ano, o currículo se baseia no ensino de seis habilidades: três de caráter pessoal (pensamento crítico, proatividade e perseverança) e três coletivas (comunicação, colaboração e curiosidade). Há também a implementação de projetos pedagógicos que, se baseados em temas de interesse dos alunos, são uma importante ferramenta para o desenvolvimento dessas habilidades.

Essas são as formas mais tangíveis, contudo, o desenvolvimento das habilidades socioemocionais permeia toda a relação do Colégio APOGEU com os seus alunos.

5) Deixe uma dica para os alunos que precisam trabalhar e estimular algumas habilidades:

[Inaiara Cóser] – Por experiência própria, eu sugiro a realização de trabalho voluntário. É uma ótima oportunidade para o autoconhecimento e o desenvolvimento das habilidades socioemocionais.

"APOGEU – DOS PRIMEIROS PASSOS AO PRÉ-VESTIBULAR"