Educação financeira: o que é e qual a importância na vida das crianças

Planejar gastos, organizar as contas e poupar dinheiro são grandes desafios na atualidade. Entenda como a educação financeira pode ajudar a criar formas estratégicas de tomada de decisões mais assertivas acerca das finanças. Saiba ainda sobre a importância da consciência ainda na infância.

Muitas pessoas pensam que a educação financeira significa apenas economizar, mas o termo vai além disso. O estudo se refere à gestão do seu patrimônio, ao controle financeiro e aos planos para o futuro. Em outras palavras, a educação financeira possibilita uma melhor gestão do seu dinheiro, escolhas conscientes em relação aos gastos e à organização das finanças.

Segundo Lorena Falci, professora de Educação para o Consumo, da Rede de Ensino APOGEU, a Educação Financeira, apesar de muito importante, infelizmente não é um assunto comum entre as famílias brasileiras. Contudo, ao longo do tempo, para que se tenha uma vida financeira equilibrada e saudável, não basta apenas ter uma renda mensal alta, é preciso se planejar.

 

Como se planejar?

O planejamento é um dos objetivos básicos do bem-estar financeiro e requer muita disciplina e autoconhecimento. A partir do momento em que uma pessoa compreende essa necessidade e se propõe a organizar suas despesas, ela já está praticando a educação financeira.

“Existem diversas maneiras de introduzirmos a educação financeira em nossas vidas que vão além do planejamento. Ela acontece quando fazemos investimentos, cortamos gastos, reestruturamos nosso orçamento familiar, buscamos alternativas mais rentáveis para nossos negócios, entre outras diversas medidas”, explica Lorena.

Um exemplo corriqueiro é o caso de pessoas que ganham bem, mas estão sempre endividadas, ou que tinham um patrimônio e perderam tudo. Isso não é difícil de acontecer, pois, muito provavelmente, essa pessoa não se preocupou em planejar suas finanças.

 

A importância da educação financeira na vida das crianças

O desenvolvimento de hábitos requer muita prática ao longo do tempo. Portanto, quanto antes iniciarmos, mais cedo cria-se hábitos saudáveis. Assim como se alimentar bem, praticar esportes e desenvolver as habilidades cognitivas são práticas valorizadas – ou pelo menos deveriam ser – ao longo do desenvolvimento das crianças, a educação financeira também apresenta papel importante nesse processo.

Segundo a professora, mesmo que hoje uma criança não seja a responsável financeira de si mesma, ela impacta diretamente no orçamento familiar, e precisa saber disso desde cedo, para compreender sua importância dentro desse contexto e como pode ajudar sua família na busca pelo bem-estar financeiro.

Por isso, quanto antes forem desenvolvidos hábitos financeiros saudáveis nas crianças, mais chances de serem adultos bem-sucedidos elas terão. “Engana-se quem pensa que a educação financeira está somente relacionada a números e planilhas. Junto a ela, as crianças praticam a organização, a disciplina, o autoconhecimento, traçam metas e objetivos, pensam de forma empática, desenvolvem a criatividade e sua responsabilidade enquanto consumidor. Ou seja, aprendem também habilidades não cognitivas que farão toda a diferença em seu processo de crescimento e amadurecimento”, relata Lorena.

 

"APOGEU – DOS PRIMEIROS PASSOS AO PRÉ-VESTIBULAR"