Atualidades do 1º semestre que podem aparecer no vestibular

As atualidades do Brasil e do mundo costumam aparecer nos vestibulares, tanto em questões objetivas e dissertativas, quanto no tema da redação. Estar bem informado sobre dados e acontecimentos é, portanto, um diferencial de quem deseja estar bem preparado para as provas. Por isso, separamos alguns tópicos que foram destaque nos noticiários no primeiro semestre de 2021. Confira.

 

Geopolítica das vacinas

Dez países administraram 75% do fornecimento mundial de vacina contra a Covid-19, enquanto mais de 130 nações nem mesmo receberam suas primeiras doses, de acordo com o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Em meio à corrida por imunizantes, a demanda é maior do que a disponibilidade, e países com mais recursos financeiros e capacidade de fabricação usam o imunizante, para expandir sua influência geopolítica global, ato nomeado de “Diplomacia da vacina”.

Nesse contexto, os esforços de diferentes governos para financiar e adquirir vacinas contra a Covid-19 ganharam protagonismo e se tornaram a principal questão na relação entre os países. Os mais ricos e com maior acesso à tecnologia garantiram, antes, suas doses. Em alguns casos, como no Canadá, há disponível pelo menos cinco vezes a quantidade de vacinas em relação ao número de habitantes, segundo dados de pesquisa feita pela Airfinity, empresa de informação e análise científica do Reino Unido.

 

Canal de Suez

O Canal de Suez, localizado no Egito, é a principal ligação marítima entre a Ásia e a Europa. O fluxo de mercadorias que passa pelo canal corresponde a cerca de 12% de todo o comércio global. Em março, um navio cargueiro encalhou no Canal e paralisou as rotas. Após seis dias, uma lua cheia causou maré alta e facilitou a movimentação da embarcação que foi retirada do local, restabelecendo, assim, o tráfego na rota mais curta entre Europa e Ásia. 

A localização marítima estratégica, entre um importante mercado exportador, a Ásia, e um grande centro consumidor, a Europa, é refletida na concentração de atividades comerciais no canal. O petróleo, por exemplo, é um dos principais produtos escoados por essa via marítima. A interligação entre o Mar Vermelho e o Mar Mediterrâneo promoveu maior facilidade no escoamento da produção de grandes centros manufatureiros do mundo para a Europa, como a China e o Sudeste Asiático. O continente europeu é um dos mais importantes mercados consumidores do planeta.

 

Conflito Israel e Palestina

Os conflitos começaram na véspera do Dia de Jerusalém, quando é realizada a chamada Marcha da Bandeira, ocasião em que os israelenses comemoram o controle efetivo de toda a cidade, entoando canções patrióticas, segundo as redes de televisão BBC e CNN, que fazem cobertura internacional. Muitos palestinos veem este ato como uma provocação. A Cidade Velha – uma das mais sagradas para as religiões – está localizada na parte oriental de Jerusalém. O destino de Jerusalém Oriental está no centro do conflito israelense-palestino, e ambas as partes reivindicam o direito sobre a cidade. 

Outro fator responsável pela eclosão do conflito foi o possível despejo de famílias palestinas, no qual grande parte da mais recente onda de violência aconteceu em meio a um esforço legal por grupos de colonos judeus que querem despejar várias famílias palestinas de suas casas em Jerusalém Oriental. 

Além disso, quando o Ramadã começou, confrontos eclodiram entre a polícia e os palestinos que protestavam contra as barreiras de segurança que os impediam de se reunir na Cidade Velha de Jerusalém durante a noite. EUA, União Europeia, Rússia e ONU solicitaram às partes a adotarem moderação, e, assim, um cessar-fogo entre Israel e o grupo extremista palestino Hamas entrou em vigor, com os dois lados, porém, reivindicando vitória. A trégua encerrou após onze dias de combates, nos quais mais de 250 pessoas foram mortas, a maioria delas em Gaza.

 

Grandes eventos esportivos e seus adiamentos

Em meio à pandemia, diversos eventos esportivos precisaram ser adiados ou até mesmo cancelados. Nos primeiros meses, os campeonatos foram completamente paralisados em todo o mundo. No Brasil, essa pausa durou ainda mais tempo se comparada a países europeus, em decorrência do agravamento da crise sanitária. Com a pressão, principalmente dos clubes de futebol, as competições voltaram, mas com muita desconfiança por grande parte da população.

O medo, que acabou se justificando, era da elevação exponencial do número de casos de Covid-19. Segundo dados levantados pelo programa Globo Esporte, a Série A registrou 302 infecções de jogadores pelo vírus, durante o Campeonato Brasileiro de 2020. Apesar dos inúmeros surtos da doença no país, a Copa América, que inicialmente seria disputada na Colômbia e na Argentina, foi transferida para o Brasil, com a desistência dos dois países em sediar a competição. O último exemplo mais notório de adiamento foram os jogos olímpicos de Tóquio. Previstos para 2020, só foram realizados neste ano. 

 

Protestos nos países latinos: os casos de Colômbia, Chile e Cuba

Neste ano, as movimentações na política chilena tomaram grande dimensão no cenário mundial, sendo consideradas até históricas. Quando o Chile deixou para trás a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990) e regressou à democracia, não elaborou uma nova Constituição que fosse mais condizente com seu momento institucional. Em outubro de 2020, porém, o país decidiu que era chegada a hora e, por isso, em maio de 2021, a população elegeu os integrantes da Assembleia Constituinte. O resultado foi a derrota das forças políticas tradicionais, com a expectativa de adotar políticas mais condizentes com a proposta de igualdade social. A redação de uma nova Constituição foi uma exigência da população, durante os protestos que balançaram o país em 2019, deixando cerca de 30 mortos e prejuízos milionários no comércio e no mobiliário público. 

Quase um mês após o início dos protestos, as forças políticas anunciaram um acordo para convocar um plebiscito, a fim de decidir sobre a mudança na Constituição, o que foi realizado em outubro de 2020. Será a primeira vez, no mundo, que uma Constituição vai ser redigida por pessoas eleitas de forma igualitária.  Nunca antes os chilenos tiveram a oportunidade de participar da elaboração e da votação de uma nova Constituição. Outra marca na eleição da Assembleia Constituinte chilena foi a paridade de gênero. Nenhuma Constituição da história mundial foi aprovada, tendo 50% de representação de homens e 50% de mulheres, como no Chile. 

Em abril, o governo da Colômbia apresentou uma proposta de reforma tributária que propunha que o Imposto do Valor Agregado (IVA) incidisse sobre serviços básicos da sociedade colombiana, como energia elétrica e gás. Sob o pretexto de ‘salvar’ a economia do país dos efeitos de uma crise histórica, intensificados pela pandemia do coronavírus, o projeto colocava boa parte do sacrifício nas costas dos mais pobres. A população se revoltou e ocorreram diversas manifestações nas ruas, marcadas pela repressão policial que, segundo a Defensoria de Direitos Humanos, deixou pelo menos 50 mortos e 1.600 feridos. Os protestos fizeram o governo desistir da proposta de aumentar os impostos, mas o cenário de desigualdades que assolam a Colômbia ainda persiste, como ocorre há décadas.

Já em Cuba, manifestantes foram às ruas, em uma onda de protestos, para reclamar da falta de bens básicos, assim como das restrições às liberdades civis e da atuação do governo no enfrentamento à Covid-19. As manifestações foram as mais significativas das últimas décadas no país, e despertaram reações internacionais. Diversos países e Organização das Nações Unidas (ONU) pediram que o governo cubano respeitasse o direito dos cidadãos de se expressar. Já as autoridades de Cuba culparam as sanções comerciais impostas pelos Estados Unidos pelos problemas econômicos que teriam motivado os protestos. A pandemia do novo coronavírus mergulhou Cuba em sua pior crise econômica em três décadas. Todos os dias, a população tem que esperar horas em longas filas, para conseguir alimentos e, também, enfrenta a escassez de medicamentos, que tem gerado forte crise social. 

 

Aumento dos combustíveis

A Petrobras tem aumentado os preços da gasolina e do diesel nas refinarias há meses. Mas por quê? São diversos fatores que influenciam no preço final do combustível. Entre eles estão os impostos e as despesas com distribuição, além de um dos mais importantes: a relação de oferta e demanda do produto. Segundo a Petrobras, seus valores têm como referência os preços de paridade de importação (PPI), ou seja, acompanham as variações do produto no mercado internacional e da taxa de câmbio.

Vale lembrar que o preço do petróleo muitas vezes é estabelecido em forma de cartel – acordo explícito ou implícito entre empresas concorrentes para fixar os preços, o que também influencia nas altas dos combustíveis. Além disso, quando há o aumento do preço dos combustíveis, o gasto para o deslocamento pode gerar alta nos preços em diversos setores, como o alimentício, por exemplo.

 

Meio ambiente e a cúpula do clima

A Cúpula de Líderes sobre o Clima foi um evento sobre meio ambiente convocado pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, em abril de 2021, marcando a volta dos EUA nas discussões internacionais sobre o tema. Essas foram interrompidas durante a gestão de Donald Trump, responsável pela saída dos EUA do Acordo de Paris. Embora não seja um evento oficial da Organização das Nações Unidas – pois não substitui a Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP) – a Cúpula de Líderes sobre o Clima possui relevância internacional, abordando os principais temas objeto de discussão da COP 26, a ser realizada em novembro de 2021, no Reino Unido.

Foram convidados a participar 40 líderes, dentre os quais os das principais economias do mundo, também responsáveis pela emissão de CO2, como China, índia e Rússia; integrantes do Fórum de Energia e Clima de Grandes Economias – que reúne os 17 países que respondem por 80% das emissões globais de carbonos e as nações vulneráveis aos impactos das mudanças climáticas; e os países que lideram ações importantes de preservação do meio ambiente. 

Neste ano, o Canadá registrou a temperatura mais alta de sua história em um momento em que o oeste do país e o noroeste dos Estados Unidos enfrentaram uma onda de calor sem precedentes. Os termômetros alcançaram a marca de 49,5ºC e provocaram a morte de 130 pessoas. O fenômeno é apelidado como cúpula de calor (alta pressão estática que atua como uma tampa de panela). Não é possível dizer com certeza se essa onda de calor brutal foi causada por emissões de gases que agravam o efeito estufa, mas cientistas argumentam que cada onda de calor que ocorre hoje é mais provável e mais intensa devido às mudanças climáticas induzidas pela humanidade

 

Violência policial

O uso abusivo, principalmente vindo da Polícia Militar, é histórico e recorrente no Brasil. Em 2020, o Brasil teve o maior número de pessoas mortas pela polícia de toda a série histórica do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que coleta os dados desde 2013. Um dos questionamentos sobre esse tema se dá sobre o abuso de autoridade por parte da polícia, que, por muitas vezes, usa da força excessiva, e até do homicídio, para demonstrar poder. E na maioria dos casos, há impunidade. 

O assassinato de George Floyd, no ano passado, nos Estados Unidos, culminou em uma onda de protestos pelo mundo, pedindo o fim do racismo e do abuso de autoridade. Além desse caso emblemático, infelizmente, há outros mais recentemente no país, o que gera amplo debate acerca desse tema.

"APOGEU – DOS PRIMEIROS PASSOS AO PRÉ-VESTIBULAR"