Aluna APOGEU conquista Campeonato Brasileiro de Xadrez Escolar

É o segundo aluno do APOGEU que conquista o Campeonato em 2020 e entra no rol de “Mestre Nacional”

Assim como Lucca Pimenta, aluno da 2ª série do Ensino Médio da unidade Santo Antônio II, Maria Fernanda Macieira, do 3º ano do Ensino Fundamental, da unidade Pará de Minas, também conquistou o Campeonato Brasileiro de Xadrez Escolar, resultado que a coloca no rol de “Mestre Nacional”. É o segundo título de aluno APOGEU em 2020.

Em razão do novo coronavírus, a edição de 2020 foi on-line. No entanto, o esporte contou com a vantagem de não precisar ser praticado presencialmente. Assim, o torneio disponibilizou a plataforma Chess.com, referência de site para jogos de tabuleiro.

Apesar da pouca idade, não é o primeiro “xeque-mate” da prodígia criança. Ao contrário, ela já conquistou vários títulos desde os cinco anos – idade em que começou a jogar -, como, campeonatos mineiros de base e até o brasileiro.

O pai e incentivador, Diego Joander, comenta a importância do esporte. “Se você for pensar lá na frente, em meio a batalhas de vestibulares e concursos, a competição no xadrez é uma preparação para a vida. No duelo, você precisa ter equilíbrio. Por isso, acho muito importante ela jogar. Desde os cinco anos, quando começou, ela conquista títulos. Inclusive, acho precipitado chamar uma criança de “mestre”, já que pode incendiar antes da hora e limitá-la de ganhar mais torneios”, diz o pai.

Para a Coordenadora Pedagógica da Educação Infantil e Ensino Fundamental Anos Iniciais da unidade de Pará de Minas, Ana Paula Nery, a disciplina “Xadrez”, conforme é tratada na Rede de Ensino APOGEU, ajuda demais os alunos nas tomadas de decisões, além de melhorar a concentração e raciocínio lógico. Por isso, histórias de sucesso como a da Maria Fernanda estão sendo construídas. “Desde quando o APOGEU começou a trabalhar a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), observamos o quão importante é trabalhar as disciplinas complementares – também chamada de especializada. Aliás, elas não são complementares, mas  tão importantes quanto Matemática, Português, História, Geografia, Ciências. O xadrez, por exemplo, veio para agregar. É essencial ser aplicada na vida das crianças desde o Ensino Fundamental Anos Iniciais”, finalizou.

Os jogos na BNCC

Cada vez mais os jogos vêm ganhando espaço nas escolas pelo fato de aprimorarem o desenvolvimento de habilidades e instigarem a vontade de aprender de forma divertida. Prova disso é que já aparecem entre as competências gerais e habilidades específicas para toda a Educação Básica.

De acordo com a BNCC, o aluno deve aprender a “compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva”. Nesse contexto, os benefícios do xadrez são inigualáveis e completos, já que é um desenvolvedor motor, social e cultural.

"APOGEU – DOS PRIMEIROS PASSOS AO PRÉ-VESTIBULAR"